sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Duas obras da engenharia niilista

I (O desenho das palavras)
Ilustrações
assim vejo e sinto as palavras
reais, abstratas, surreais
Das mais variadas formas.

Eu gosto do desenho das palavras
Amor

amizade, esperança.
E tantas outras,
infindáveis...


Algumas palavras são essencialmente belas
à primeira vista me apaixonei por elas,
para além das suas respectivas representações sociais.

A poesia,
é um brinquedo especial
me ajuda a ilustrar fenômenos,

sejam eles alegres ou melancólicos, não importa
O importante é brincar.

II (Resistência)

Declaração de amor
aglomerado de palavras que nascem do desejo de posse.
idealização do eterno
o ser faz de tudo para escapar da morte.

Por acaso você já leu uma carta antiga
e sorriu de raiva,
querendo maltratar o autor?

Mentiroso, maldito poeta, palavras em vão!

Um abraço
Ah! Isso é finito.
Mas tudo o que eu lhe digo
é eterno e absoluto,
belo como a França em tela de
Renoir.

São as melhores palavras que - diariamente - eu escolho
para dizer que te amo.Ficarei guardado por muito tempo em uma gaveta qualquer,
sozinho,

sendo eterna lembrança dos nossos melhores e piores dias.

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Da raiz quádrupla equivalente ao Caos.

I (Fight Against)

If the World is a vampire
i will be the worth blood
.They wont suck my lifebecause im already poison.



II (Percepção)
Hoje - este vento invernal
Grosseiro como a memória
rápido como as paixões

preenche - o coração de esperança.




III (Hierarquia)
_______________
_______________
_____sim_______
_______________
_______________




IV (3:47)

Um romance deve ter um pouco de dor

alguma coisa maluca para provocar gritos

Um romance precisa nascer do infinito
Para um dia eu e você morrermos no limite.


René Magritte - Modele Rouge (óleo sobre tela, 1935)