terça-feira, 22 de abril de 2008

A robótica no cotidiano humano

As Ciências Sociais, preocupam-se com a repercussão, influência, existência de um indivíduo inserido na sociedade. O oposto também ocorre, ou seja, a compreensão dos efeitos que a sociedade através de seus fenômenos provocam neste ser humano enquanto sujeito. - Ani Barichello

Eu sou uma pessoa curiosa, pesquiso a fundo tudo o que me interessa, pode estar relacionado a dor ou a felicidade, tenho prazer no choque com a verdade, e com verdade eu me refiro aquilo que está por trás das aparências.

É inegável que no século XXI a nossa civilização avançou em muitos aspectos, sentimos uma liberdade maravilhosa quando falamos abertamente sobre sexo, política, drogas e todo tipo de tabu que em décadas anteriores assombravam a vida pública e privada. A questão que eu acho relevante discutir aqui é se realmente falamos de tudo, e o significado de liberdade. Será que os reconhecidamente alternativos e libertários questionam-se sobre aquilo que não é falado, mas sabe-se que existe no cotidiano na forma de dogma, como um sapato de Magritte ou algum Meme de Richard Dawkins?

É intrigante você fazer algo absurdo, inesperado, perto daqueles "libertos" e segundos depois perceber olhares de reprovação. Não sinto vergonha de mim - obrigado, Nietzsche - apenas fico com nojo dessa geração "B" que não aprecia o bizarro, que ama a realidade e torce o nariz ao dadaísmo. A arte é uma seleção natural, para poucos. Morte à democracia!

No meio daqueles bonecos de preto só uma pessoa compreendeu o non-sense como um tipo de terrorismo poético, a minha namorada. Palavras da Salvação: Tu és belo, por dentro e por fora, tu és belo, eu sou tua, eis um motivo de orgulho!
Não existe liberdade no guarda-roupa da ralé masculina que coloca seu boné pra trás, calça seus tênis e veste azul combinando com a cor da calça. Ó Deus, tende piedade das mulheres que acreditam ser Mulher por usarem vestidos decotados e seus sapatos rosa. Não importa se amanhã cor de Macho for Verde e de Fêmea, Laranja. A questão é romper os padrões, é quebrar o chip ideológico que nos faz olhar para a plaquinha em cima dos banheiros e pensar: "Aqui menino pode entrar".

As Ciências Sociais tem papel muito importante na desmistificação do mundo, numa constante luta contra as idéias ditas naturais que permeiam nosso dia-a-dia. Não se deve angelicar a sociologia, ela também merece críticas e rupturas, quem sabe até a própria destruição. Eterno só existe uma coisa: o Amor que eu tenho por você, dançarina.


René Magritte ~ The son for man, 1926

3 comentários:

D. Amnésia o.O disse...

uhm...
A curiosidade... Um bom instrumento para o conhecimento!
Creio que vc esteja usando-a da melhor forma possível!
Bom saber que existem amores verdadeiros...

Ani Cristina Bariquello disse...

Sabe, talvez você não tenha percebido, mas eu fiz questão de, assim que acabou o tumulto, mas quando os "olhares de reprovação" ainda estavam focados em você, aproximar-me e lhe dar um beijo. Foi um gesto simples, eu sei, mas a melhor forma que eu encontrei de provocar a mesma reação que eu alcançaria se tivesse gritado:

- Vejam, eu admiro o que ele fez!

Falar é fácil. Sim, principalmente neste mundo altenativo em que as pessoas fazem questão de bater no peito e dizer: "Eu não tenho rótulos!", tentando afirmar que não possuem dogmas, como se relativizar se consolidasse usando all star, xadrez ou a camiseta de uma banda desconhecida encontrada no my space.

Espantoso mesmo foram as pessoas que vieram dizer que você fez algo que elas sempre gostariam de ter feito. E por que nunca fizeram? Covardes.

Foi emocionante, por alguns segundos o surrealismo materializado em minha frente, e ele tomou a mais bela forma possível: Você.

Que confusão linda aquela fusão entre o absurdo e a realidade, alí, bem na minha frente.

São maravilhosos esses momentos em que precisamos nos beliscar para termos certeza que não estamos sonhando, não são pequeno?

Mas maravilhoso mesmo é sentir a dor do "beliscão" e pode concluir:

- É real.

Diego Augusto Mélo disse...

O melhor bom dia, definitivamente.