sábado, 11 de dezembro de 2010

Três máscaras do ser

I - A manifestação da sonolência é como uma desculpa aos atos que cometemos ao longo do dia; e dormir é paz. A pátria dos inocentes.

II - A depressão domina o ser que passa fome de arte; o principal alimento do espírito. Não é possível viver (bem) preocupando-se apenas em nutrir o corpo. A arte, morada do belo, da verdade e de todo impulso, é precisamente o que nos faz dizer: Sim, é válido qualquer sacrifício!

III - A arte é um caminho para compreensão da nossa tradição. Nessa abertura de possibilidades para interpretação de si mesmo e do mundo, amplia-se o próprio horizonte em busca do novo. Não é fácil. Existem muitos conflitos envolvidos no diálogo do meu horizonte com o horizonte do outro, mas é o tipo do esforço que vale a pena.

Mark Rothko: Red-White-Brown, 1957