sábado, 3 de maio de 2008

A sombra e o princípio da grande Amizade.

"Tão perto que tua mão sobre o meu peito é minha. Tão perto que se fecham teus olhos com meu sono" - Pablo Neruda


P
ara além das explicações científicas, a sombra é uma forma de viver em dobro, como? Tive essa impressão ontem quando estava sentado em frente a minha casa. Era uma tarde fria mesmo na presença onipotente do sol. Olhei para minha esquerda e ao perceber a minha sombra, imaginei que ela também fosse uma forma de vida, mesmo que isso na hora não fizesse muito sentido continuei a pensar a respeito. Se ela faz o que eu faço, então deve conhecer-me muitíssimo bem e em muitos aspectos. Será que também sofre comigo, será que se contenta ao abraçar outra sombra? Será minha eterna escrava nata ou somos uma coisa só? Chamo isso de Amizade transcendental, evidente que a sombra tem intimidades conosco que jamais uma pessoa – mesmo que especial – teria, essa amiga é a única coisa que representa a fidelidade ideal, ela evidencia os crimes mais bárbaros e permanece ao nosso lado, assim como contempla o nascer do sol em paz, escuta beethoven, e dança 'OK GO' seja onde for, acredite se quiser.


René Magritte, La Reproduction Interdite

4 comentários:

Ani Cristina Bariquello disse...

“Será minha eterna escrava nata ou somos uma coisa só?”

Amiga...

Sua amiga está presa a você, já pensou nisso?

Condicionada a seus atos, submissa, ela depende de você até para descansar. E como ela poderia ouvi-lo se falam ao mesmo tempo, sua sombra sequer pode escolher quem beijar, porque ela beija quem você beija.
Sua amiga não tem vontade própria nem para existir, porque ela “desaparece”, quando você sai à rua nos dias de chuva.
Se essa amizade existe, ela é privada de um dos direitos naturais mais importantes, a liberdade.
Por outro lado, pode ser realmente que ela seja uma companhia fiel incondicional e eterna, e se são assim tão íntimos, talvez ela mesma, a sombra, reconheça em você a mesma condição e esteja ao seu lado por livre e espontânea vontade.
Mas se há possibilidade de este mundo não ser o real, também há possibilidade de você ser a sombra, e não ela. Quem sabe ela até pense como você, e na verdade é você quem está sujeito aos movimentos dela.

Giuh disse...

a sombra é uma forma de viver em dobro, concordo ! ;D

Euzer Lopes disse...

Acho que minha sombra é muito fiel a mim, porque nunca tinha olhado para ela com tamanha riqueza de sentidos como você fez com a sua!
E a minha nem de noite me larga!

Daniel disse...

Talvez você esteja lendo demais nas entrelinhas dos feixes paralelos da luz, talvez seja só gestalt... ou a necessidade da escrita :)