terça-feira, 18 de novembro de 2008

Palavras, acasos & você

- Óleo sobre tela
Cada foto,
caos temporal
Pedaçostudo de nós dois.
Constituição de cada coração heróico
Meu e teu.
Música; para homenagear e eternizar.
Somos - milhares de talvez - convictos.
Cinema; sorrisos de lágrimas
nessa vida tão pedradocemolhada.


- Modele Rouge

A vida é como um sapato novo.
Sometimes o nosso espírito
e a liberdade que nos alimenta
Revoltam-se contra o cárcere.

A adaptação impossível
os calos cotidianos
A desistência que fundamenta
os caminhos de fulga do monstromundano.


- Blow job terrorista

Já se sentiu assim?
Sua vida equivalente ao sexo oral
ora levando na cara, ora engolindo
toda essa porra plebéia.


- Guerra fria

A cobra que não encontra alimento
morre com o próprio veneno.
Nós não seremos ratos
Estamos acima daqueles que fazem sofrer.



René Magritte - La Memoire (1954)

3 comentários:

lucas. disse...

"A adaptação impossível
os calos cotidianos
A desistência que fundamenta
os caminhos de fulga do 'monstromundano'."

fagulhas de emoções ruidosas, o timbre inevitável de revolta.
os calos são cotidianos, meu amigo, e a adaptação invariavelmente dolorosa.
tantos caminhos, sapatos apertados e tantas, tantas pedras pra desviar.

percorremos nós o 'monstromundano', ou será ele quem nos habita, e devora?

Zana disse...

" Guerra fria

A cobra que não encontra alimento
morre com o próprio veneno.
Nós não seremos ratos
Estamos acima daqueles que fazem sofrer." Cobra!



Bom, na verdade, Jude é o que eu sou agora... Jude é a liberdade do meu ser e a liberdade que dei. Jude é como me sinto agora, saindo da cerca e revendo coisas... De como se vale... Entende? O foto de Jude gostar mais dela do que de Henry, talvez seja um pouco enganação... Mas isso faz bem pra jude, como pra mim. E o botão a gente inventa.

Ani disse...

Não sei por que, se quando em raro, essa loucura de ver beleza na tristeza me orienta, aí eu passo por aqui e penso:
- É os poemas são mesmo feitos para serem assim...